30
04 / 2017
36 Novos artigos

Campinas (SP) tem cerca de 20 mil animais nas ruas, diz Prefeitura

Social

Tamanho

Um microchip é implantado nos animais para controle de população (Foto: Reprodução/EPTV)

O caso do coronel do Exército que mantinha cães e gatos em situação precária em vários imóveis de Campinas (SP) chama a atenção para o problema do abandono. Segundo o Departamento de Proteção e Bem-estar Animal, cerca de 20 mil moram nas ruas do município.

Muitos são resgatados com ferimentos gerados por atropelamentos, verminoses ou doenças graves como cinomose. Os animais recolhidos são levados para abrigos públicos, onde passam por tratamento veterinário, castração e recebem um microchip.

“A grande maioria não tem raça, são animais que foram atropelados ou ficaram adoentados em vias públicas. Os animais que estão nos abrigos, nós estamos tratando pra doar”, explica Paulo Anselmo Felippe, diretor do departamento.

Ele afirma ainda que os interessados em adotar os animais passam por entrevistas e precisam fazer um cadastro com documentos pessoais e comprovante de residência, para garantir que estes animais não voltem novamente para as ruas.

“A pessoa passa por uma entrevista, é feita vistoria dos locais, e a gente só libera se a condição [do local] for melhor ou igual a nossa, pra que ele não seja recolocado nos maus-tratos novamente”, destaca.

O diretor ainda explica que em situações onde famílias precisam sair de suas casas, como aconteceu na “Ocupação Mandela”, uma equipe do departamento é mandada para o local para recomendar que os animais não sejam abandonados.

Mas, isto não foi suficiente para evitar que cachorros ficassem para trás. Vizinhos da ocupação, que antes acolhiam as famílias, agora cuidam dos animais que foram deixados.

A professora Cláudia Cruz é moradora do Jardim Capivari e conta que sua filha ficou preocupada ao ver a situação em que os animais estavam.

“Ela disse: mamãe você está distribuindo sanduíches para as pessoas que não tem aonde comer, mas ninguém está cuidando dos cachorros”, afirma.

O Departamento de Proteção Animal recebe cerca de 200 denúncias de maus-tratos todo mês, porém não há espaço para alocar estes animais já que os canis públicos não tem mais espaço. O município cuida de cerca de 150 cães e 90 gatos e monitora mais sete casos suspeitos de condições precárias, como no caso do coronel aposentado do Exército.

Cães eram mantidos em lugares sujos e sem comida por coronel aposentado (Foto: Reprodução/EPTV)

Coronel

Segundo o diretor, os animais do coronel do Exército aposentado que estavam péssimas condições em imóveis no município passam por atendimento veterinário, serão alimentados e cuidados no local, sob responsabilidade de voluntários e funcionários do departamento.

“Estamos coletando hemograma para avaliar condição do animal pra ver se ele apresenta alguma doença, estamos microchipando e vacinando pra começar a colocar pra adoção. Nós somos responsáveis por eles, vamos entrar e higienizar, alimentar e fazer procedimentos veterinários até eles se restabelecerem e depois levar pra adoção”, explica Lara Frigeri, coordenadora de Gestão de Animais de Campinas sobre os animais resgatados dos imóveis.

Para Ana Erlei Marinheiro, que protege e cuidada de animais que encontra abandonados há 35 anos, a adoção pode ser uma boa alternativa para que eles sejam bem cuidados e saiam das ruas. “Eu peço pra cuidar bem do animalzinho e não abandonar que ele não merece”, conclui.

Cachorra foi abandonada em terreno após nascimento de filhotes (Foto: Reprodução/EPTV)

Quem quiser adotar algum desse animais, pode ligar no departamento no número 3245-1781.

Fonte: G1

Comments

comments

da ANDA

Se você está buscando um novo emprego, selecione abaixo:

Cadastre seu currículo agora   Envie seu currículo para dezenas de empresas

Revise seu currículo com um especialista   Consultoria gratuita para obter um emprego

Comece já a receber nossa revista gratuita. Direto em seu correio as principais notícias da cidade.

Patrocinadores